Fluminense chega a 20 mil sócios votantes e segue firme na fidelização do torcedor


Uma visão de longo prazo só se concretiza etapa após etapa. E hoje, mais uma marca importante foi batida pelo Fluminense. O clube atingiu, nesta segunda-feira, 9, a adesão de 20 mil sócios com direito a voto e ingressos, tornando real um dos principais objetivos desta administração: aproximar o torcedor da instituição.

Desde o início da gestão Peter Siemsen, uma série de medidas foi tomada para reforçar esta ligação. Dos eventos “Tricolor em Toda Terra” até a melhoria dos serviços de venda de ingressos, em especial a implantação da venda online, passando por cada ação institucional ou de Marketing, todos os movimentos foram pensados com foco na construção desta relação. Para Siemsen, esta marca deve ser celebrada como a confirmação de um caminho.

– Lançamos o Sócio Futebol há menos de um ano, e já chegamos a 20 mil adesões. Um projeto totalmente desenvolvido internamente, com recursos próprios e muito estudo. Este número só reforça nossa crença na abertura do clube para o torcedor e em como podemos crescer ainda mais. A nossa ambição é estar entre os maiores clubes do país, em números de sócios, em breve – disse Peter.

O projeto de associação em massa do Fluminense chega a esta marca após o lançamento de dois produtos. Em janeiro de 2012, foi lançado o “Pacote Futebol”, que agrega ingressos para todas as partidas do clube às modalidades titulares existentes (Sócio Contribuinte Efetivo e Sócio Proprietário). Em menos de um ano, a estratégia trouxe cerca de 4 mil novos sócios, além de se estender a quase mil associados antigos do clube. Era o indício de que o elo institucional (direito ao voto), somado à presença nos jogos, seria um caminho para fidelizar os tricolores.

O próximo passo seria investir em uma modalidade mais acessível, com potencial para crescer nacionalmente e atingir diferentes públicos. Após analisar os principais modelos associativos do mundo, foi criado o Sócio Futebol. Para isso, foi convocada uma Assembleia Geral para a mudança do Estatuto do Clube, em novembro de 2012. Tão logo os sócios aprovaram a alteração, a nova modalidade foi lançada.

De lá para cá, o crescimento das adesões foi constante, e as receitas sociais atingiram a marca de R$ 7 milhões no primeiro semestre de 2013. A projeção para o ano é terminar com cerca de R$ 14 milhões gerados diretamente – e integralmente – pelos associados, fora o impacto das receitas com ingressos, obtido pelo novo modelo de relacionamento com o Maracanã.

– Um futuro vitorioso passa diretamente pela nossa capacidade em ter mais sócios e, também, trazer mais gente para os nossos jogos no Maracanã. Digo “nossa”, pois todas estas coisas são conquistas do torcedor. Agora, cada um pode fazer a sua parte e ser diretamente responsável pelo nosso sucesso, e ter, de fato, influência direta no destino do Fluminense – afirmou Peter.

Comunicação Institucional FFC
Fonte: Site Oficial do Fluminense FC