Atualmente estamos operando somente nas nossas redes sociais oficias

Em jogo dramático,Gum faz gol no fim e dá vitória ao Flu sobre o São Paulo

Foi dramático. A torcida do Fluminense compareceu ao Maracanã e torceu muito até o fim. O Tricolor carioca precisava da vitória para tentar fugir da zona de rebaixamento. O Criciúma venceu no sábado e aumentou a pressão. O time pressionou por boa parte da partida os reservas do São Paulo, mais preocupado com a Copa Sul-Americana. A maior parte dos 37.310 presentes ao estádio - 34.459 pagaram ingressos a preços promocionais da diretoria - sofreu com as chances desperdiçadas até os 43 minutos, quando o zagueiro Gum, com uma cabeçada mortífera, fez o estádio explodir de alegria: a vitória de 2 a 1 tirava um pouco a equipe do sufoco.


Welliton abrira o placar para o São Paulo e assustou os tricolores. Jean, um dos destaques da partida, levou o Flu ao empate, ainda no primeiro tempo, e Gum selou a vitória no fim. Agora, o Fluminense está com 42 pontos ganhos, fora da zona de rebaixamento - pulou, virtualmente, para a 14ª posição. Na próxima rodada, sai para enfrentar o Santos no Prudentão, no interior paulista. Depois, receberá o Atlético-MG no dia 1º de dezembro e termina o Brasileirão contra o Bahia, dia 8, na Fonte Nova. O São Paulo, que na quarta-feira enfrentará a Ponte Preta na primeira partida das semifinais da Copa Sul-Americana, pegará o Botafogo em casa, domingo, e depois joga contra o Criciúma forano dia 1º de dezembro e encerra dia 8, contra o Coritiba, no Morumbi.

Chances e gols

O empate por 1 a 1 no primeiro tempo acabou até modesto pela partida bem disputada, com boas chances e o domínio sermpre mudando de lado - ficou mais tempo com o Fluminense. Com o apoio da torcida no Maracanã, o time sabia que teria de se lançar ao ataque logo de cara para surpreender o São Paulo. Em dois minutos, simplesmente criou duas chances de gol. Duas. Na primeira, Samuel se enrolou ao tentar driblar o zagueiro. Na segunda, em centro de Igor Julião, Wagner ficou com o grito de gol engasgado quando viu Denis fazer boa defesa.

Era a senha para o Tricolor carioca insistir. E a senha para o Tricolor paulista tratar de corrigir a marcação. Foi só reforçar a cobertura em Fabrício e adiantar o time que Muricy equilibrou a partida. Melhor, o São Paulo passou até a dominar. E com Jadson rápido na armação das jogadas e eficiente na cobrança de falta que passou perto do gol e assustou Cavalieri. O toque de bola do meio-campo começou a encaixar. E numa bela triangulação, que começou com o camisa 10 são-paulino, à la Ronaldinho, olhando para o outro lado, fez a bola chegar a João Schmidt. O toque de calcanhar foi para Welliton, que bateu no cantinho, aos 17: 1 a 0.

Mal o Flu se refazia do gol do São Paulo, levou susto com outro Wellington, num tirambaço para boa defesa de Cavalieri. Mas, dali em diante, o time carioca reequilibrou as ações, até porque. Jean e Wagner estavam incansáveis. Um no combate e chegando ao ataque. O outro porque chamava para si a responsabilidade de criar. Pela direita, pela esquerda ou pelo meio, de onde saiu o empate: Jean explodiu bomba no travessão. No rebote, Samuel arriscou. A bola foi na trave e contou com ajuda de Denis para Jean, como um centroavante, não perdoar aos 25 minutos. Depois do empate, a torcida e a equipe se inflamaram. Sobis e Jean ainda tiveram chance de virar. Houve também um toque de mão de Fabrício na área, considerado involuntário pela arbitragem. Osvaldo, no fim, assutou o Flu. E o jogou seguiu empatado no primeiro tempo.

Euforia de Gum

Muricy trocou Lucas Silva por Caramelo no intervalo. Parecia adivinhar que o Flu forçaria pelo lado esquerdo de ataque suas jogadas. E o time carioca repetiu o roteiro da primeira etapa. Começou melhor. Rhayner, e depois Jean, tiveram boas chances ali pela esquerda mesmo. O toque do camisa 7 foi bonito, e passou bem perto do gol.

O São Paulo procurava os contra-ataques, explorando a velocidade de Osvaldo. E teve também o seu lance para reclamar da arbitragem: Welliton fez o giro e caiu na área, mas o árbitro mandou seguir. Pouco depois, Dorival Junior cedeu aos pedidos da torcida e pôs o garoto Biro Biro no lugar de Rhayner, ali mesmo pela esquerda. O time ficou mais aceso. Igor Julião bateu cruzado, a torcida ficou com o grito contido mais uma vez. Era boa a oportunidade. O São Paulo parecia desinteressado. Muricy, aos berros, reclamava e resolveu mexer, trocando Welliton por Ademilson.

Dorival também mexeu. Tirou o apagado Samuel para arriscar com Marcelinho. O jogo estava à feição do Flu, que não encontrava o caminho do gol. Muricy tentava melhorar o São Paulo ao pôr Maicon no lugar de Fabrício. O tricolor carioca pressionou até o fim. Aos 43, a justiça foi feita para quem mais buscou o gol: em escanteio, Gum subiu mais que todos e mandou, de cabeça, a bola mortífera: era a virada tricolor que faltava no Brasileirão.

Fonte: Globo Esporte

About Me

Tecnologia do Blogger.

Blog Archive

Comments

Destaques

Facebook

Destaques

Find Us On Facebook

Random Posts

Advertise

Futebol

Nosso Instagram

Social Share

Random Posts

Destaques

Sponsor

Recent comments

Destaques
Destaques

Labels

Labels

Advertise

Destaques

Recent Comments

Destaques

Popular Posts

Recent Comments

Pages

Pages

Popular Posts

Most Popular

Curta nossa Fan page

Destaques