Conca prevê sucesso de dupla com Fred: 'Trabalhar para fazer a diferença'

Ainda não é o Conca que a torcida do Fluminense se acostumou a ver e espera ter de volta. Nem de longe é o Fred que encantou na conquista do Brasileirão 2012. Mas eles prometem que trabalharão com afinco para evoluir o mais rápido possível. Passados dois jogos desde o retorno ao Brasil, contra Madureira e Bonsucesso, o meia argentino ainda não brilhou. Fred, que só participou do segundo, também. Desgaste físico, pré-temporada curta e falta de entrosamento são alguns dos motivos apontados pela dupla e pelo técnico Renato Gaúcho. 

Além do camisa 11, os tricolores esperam muito de Fred. Depois de um 2013 com só 25 jogos e oito gols, o atacante retornou nesta quinta-feira após quatro meses sem jogar por conta de uma grave lesão na coxa direita. No Maracanã, o capitão perdeu gols que não está acostumado. O reflexo e o oportunismo ao receber uma bola na área após cobrança de escanteio ainda não são os mesmos. Conca, no entanto, acredita no sucesso da parceira. 

- A gente tentou e algumas vezes consegue e outras não. A gente se esforça, se procura. Tanto com Fred, Rafael (Sobis), outros companheiros. A gente tenta fazer as jogadas para chegar ao gol. A gente está unido, junto, vamos trabalhar muito para fazer a diferença – disse o camisa 11. 

No empate por 1 a 1 com o Bonsucesso, eles se procuraram, principalmente no primeiro tempo. Conseguiram até criar algumas jogadas, mas elas terminaram sem sucesso. Na etapa final, ambos sentiram o cansaço e caíram de rendimento. Com o Tricolor ainda em vantagem, Fred teve a chance de decidir a partida, mas parou no goleiro Rodrigo em duas tentativas no mesmo lance. No contra-ataque, o adversário empatou. 

- Acho que o que Renato falou está certo. Alguns jogadores estão voltando de lesão, se esforçaram muito também. Na quarta ou quinta rodada vamos melhorar muito e vamos estar bem melhores, apesar de que jogamos muito bem (contra o Bonsucesso). 

Com um ponto em duas partidas, o Fluminense é só o 12º na classificação do Carioca. A próxima partida será contra o Nova Iguaçu, domingo, em Volta Redonda, às 17h (de Brasília). Para os tricolores, hora de começar a ver o brilho dos protagonistas. 

Confira outros trechos da entrevista de Darío Conca:

Avaliação dos dois primeiros jogos

- Não tive tanto tempo de férias, realmente a gente fez uma pré-temporada curta, mas o mais importante é o esforço, depois conseguir o ritmo de jogo. Quando fisicamente eu conseguir aguentar muito bem os 90 minutos, vai ser com trabalho, é difícil falar dos dois jogos. Mais importante é trabalhar. 

Cansaço e evolução

- Sempre acho que posso render muito mais, vou trabalhar para isso. Sei que é importante o treinamento, o ritmo de jogo também. Vou trabalhar para continuar melhorando. 

Carinho da torcida

- Quero agradecer ao torcedor porque mais uma vez me fez muito feliz. Estava com saudade, foram dois anos e meio. Quando saí daqui, jogava no Engenhão e já sentia saudade do Maracanã. Depois, fui para a China. Reencontrar a torcida foi uma alegria imensa. Vou sempre agradecer por tudo que fizeram por mim. Foi uma das coisas mais bonitas da minha vida. 

Readaptação ao futebol brasileiro

- É normal. Se eu jogar bem, vão falar que não perdi o ritmo. Se não conseguir jogar bem, dirão que está faltando. Espero conseguir render muito. O ritmo é diferente, mas é futebol. É a mesma coisa. Vou trabalhar para não sentir essa diferença. 

Gringos no Brasil

- Muitos jogadores estão vindo para o Brasil, país que faz sentir muito bem. Para jogares estrangeiros se adaptarem é muito difícil, é complicado. O grupo brasileiro faz sentir muito bem, é mais fácil. Até hoje tem o D’Alessandro, um dos melhores que vi no Brasil. É importante que continuem chegando muitos mais. 

Calendário brasileiro

- Existem pessoas responsáveis por isso. Importante é todo mundo procurar o melhor para o futebol. Sabemos que dez dias de pré-temporada não é o melhor. É melhor todo mundo se juntar e ver a melhor solução para o futebol ter um bom calendário. Para o bem de todo mundo, o jogo vai ficar com outro ritmo, vai melhorar o futebol também.

Fonte: Globo Esporte