Atualmente estamos operando somente nas nossas redes sociais oficias

Para jurista, decisão da Justiça de SP é 'mais correta' que a do Rio

Com o fim do Campeonato Brasileiro de 2013 e das festividades de fim de ano, o começo de 2014 ficou marcado no esporte pelas brigas de Portuguesa, Flamengo e Fluminense na Justiça. Em dezembro, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) havia decidido que Lusa e Fla perdessem quatro pontos pela escalação irregular de Héverton e André Santos, respectivamente, na última rodada do Brasileirão, o que fez com que o clube paulista fosse rebaixado para a Segunda Divisão. Porém, o caso foi parar na Justiça Comum, na qual um torcedor da equipe lusitana obteve uma liminar na 42ª vara cível de São Paulo obrigando a CBF a manter o time na Série A da competição nacional. Já no Rio, um torcedor do Tricolor conseguiu uma liminar no Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos exigindo que a Confederação cumprisse as decisões do Tribunal Desportivo.

Segundo Ives Gandra Martins, um dos principais juristas do Brasil, que participou por telefone do programa "Arena SporTV" desta quinta-feira, a Justiça de São Paulo está mais correta do que a do Rio de Janeiro, uma vez que a defesa usa o Estatuto do Torcedor para manter a Portuguesa na Primeira Divisão do Brasileiro, que está acima do regulamento do STJD .

- O STJD aplicou o código da Justiça Desportiva, que não está atualizado. Com o Estatuto do Torcedor, que é lei, e não um mero regulamente feito pela CBF, eles teriam que se adaptar à lei federal. A liminar concedida em São Paulo é correta porque aplica a constituição. A Justiça Desportiva pode recorrer e a Justiça Comum vai definir o que deverá ser feito. A decisão da Justiça paulista me parece mais correta do que a do Rio de Janeiro. Em São Paulo foi aplicado o Estatuto do Torcedor. Em lei, e não apenas no regulamento, as decisões do Tribunal só passariam a valer depois de serem notificadas, ou seja, publicadas, assim como acontece com os Tribunais Superiores e da Justiça Ordinária. Com o STJD ignorando isso, eles estariam revogando uma lei federal, que vale mais do que um regulamento da CBF – explicou.


Para o jurista, a CBF, que errou ao não publicar a decisão do STJD de suspender Héverton e André Santos no seu site antes das partidas da última rodada do Brasileirão de 2013, deveria tentar um acordo político que acabasse com as brigas nos tribunais. Segundo ele, caso a Confederação não tome uma atitude, o caso irá parar no Supremo Tribunal de Justiça e o campeonato pode ser suspenso.

- As decisões de São Paulo e Rio de Janeiro, que são conflitantes, vão levar necessariamente a uma de duas soluções: ou uma decisão do Supremo Tribunal de Justiça, porque há um conflito de jurisdição, entre dois tribunais de igual força, ou uma atitude política da CBF. Se a CBF não conseguir cancelar a decisão da Justiça de São Paulo, o caso será julgado no Supremo Tribunal de Justiça, que decidirá o que vai valer, o Estatuto do Torcedor, que é lei, ou o mero regulamento da CBF, que poderia ter sido atualizado, depois que foi publicado o Estatuto do Torcedor. Outra solução seria uma atitude da CBF. A solução seria que os dois times (Portuguesa e Fluminense) continuassem na primeira divisão (Brasileiro com 21 times). Espero que a CBF, que foi extremamente irresponsável ao não ter publicado em seu site a decisão do STJD, tenha bom senso para conseguir um acordo politico para acabar com a briga na justiça. Se não tiver uma decisão política da CBF, corremos o risco do campeonato ser suspenso - concluiu.

Fonte: Globo Esporte

About Me

Tecnologia do Blogger.

Blog Archive

Comments

Destaques

Facebook

Destaques

Find Us On Facebook

Random Posts

Advertise

Futebol

Nosso Instagram

Social Share

Random Posts

Destaques

Sponsor

Recent comments

Destaques
Destaques

Labels

Labels

Advertise

Destaques

Recent Comments

Destaques

Popular Posts

Recent Comments

Pages

Pages

Popular Posts

Most Popular

Curta nossa Fan page

Destaques