Fred quase triplica média de gols com Cristóvão e revive fase de 2012

Um com Renato Gaúcho, outro com Cristóvão Borges. Fred, talvez, seja o jogador que melhor resume a evolução alcançada pelo Fluminense nos últimos três jogos. Ao marcar quatro vezes, no ainda curto período de trabalho do novo treinador, o centroavante quase triplicou a média de gols registrada no começo da temporada – são, no total, nove em 13 jogos. Número que o torna artilheiro da equipe e o faz reviver o auge alcançado em 2012, ano de título e posto de goleador do Brasileiro. Um alento ao torcedor tricolor e ao brasileiro, afinal, o camisa 9 é também o centroavante da Seleção.

Fred, na verdade, cresce na hora certa. Após um começo de ano irregular, no qual ainda se recuperava de lesão na coxa direita, sofrida em 2013, o atleta deixou para trás qualquer tipo de desconfiança – passou por intenso período de treinos até cortando folgas. Seus dois últimos gols, na vitória por 3 a 0 sobre o Tupi-MG (veja no vídeo os tentos da partida), o que levou o time carioca à terceira fase da Copa do Brasil, são a prova do novo momento. Detalhe: ele não balançava a rede duplamente, nos mesmos 90 minutos, desde a final da Copa das Confederações no distante 30 de junho de 2013 quando o Brasil venceu a Espanha por 3 a 0. 

- É um prazer grande para mim, porque o Fluminense é um grande clube. Espero fazer mais coisas, mais gols. Para esses títulos aparecerem, tenho que fazer meu trabalho, meus gols – disse o jogador na saída do gramado do estádio Municipal de Juiz de Fora.

A atual média com Cristóvão – 1,3 por jogo – fez Fred reviver um passado recente e mudar a história. Em 2012, com 30 gols no ano, 20 deles no Brasileirão, artilheiro do campeonato, foi a principal figura tricolor. E, agora, ele é o nono artilheiro isolado de todos os tempos do clube: 121 em 193 compromissos. Nem parece o mesmo jogador que, até pouco tempo, foi alvo de protesto de convocou um debate sobre as torcidas organizadas.

- Algumas pessoas falavam que ele se poupava (para a Copa). Ele se entrega. Por isso, faz gol. Ele é decisivo. Todo o time e a Seleção precisa disso. Ele melhora a cada jogo – elogia Cristóvão.

O Flu, que enfrenta o Palmeiras, sábado, pelo Brasileirão, e a Seleção, cuja convocação à Copa sai em 7 de maio, agradecem.

Fonte: Globo Esporte
Texto: Hector Werlang
Foto: Matheus Andrade / Photocâmera