Celso Barros se reunirá com Peter, mas se mantém afastado do mercado

Timidamente uma pequena bandeira branca começa a ser hasteada no Fluminense. Divergências à parte entre diretoria e patrocinadora, a coisa parece caminhar para dias menos tumultuados. O presidente do clube, Peter Siemsen, disse recentemente que a relação não mudou “um centímetro”. E uma conversa com o mandatário da Unimed, Celso Barros, está marcada para os próximos dias para, quem sabe, aparar as arestas.

- Ele (Peter Siemsen) me ligou e ficamos de combinar uma conversa para semana que vem - disse Celso Barros, que participava de uma reunião da empresa de saúde em São Paulo.

Os pontos de vista diferentes vieram à tona após a demissão de Renato Gaúcho, preferido de Celso Barros, que chegou a tratar como covarde a forma como a saída do técnico foi conduzida. Cristóvão Borges, indicação de Peter, chegou e levou o clube a quatro vitórias nos seus primeiros dias de trabalho, com 12 gols marcados e nenhum sofrido. 

Apesar de aparentemente ter diminuído as hostilidades, uma reaproximação não quer dizer que a empresa investirá em reforços. Assim como havia prometido anteriormente, ele deve se manter afastado dos investimentos em jogadores. Questionado se ajudaria nas contratações para o restante da temporada, Celso Barros foi breve e disse "não".

Mas o atual elenco também será pauta. Afinal, o clube depende da patrocinadora para negociar as renovações de contrato dos atletas que têm vínculo até o fim da temporada, como Carlinhos, Diego Cavalieri, Diguinho, Gum e Valencia. 

Outra preocupação é Fred. Recentemente ele deixou aberta a possibilidade de sair do clube após a Copa do Mundo. Peter Siemsen quer que o camisa 9 fique, mas entende que precisa da ajuda da patrocinadora para segurar o ídolo. Por enquanto, o assunto está fora dos planos da Unimed.

- Estou em São Paulo, em uma reunião da Unimed, e não tem nada em relação a isso ainda - explicou Celso Barros.

Fonte: Globo Esporte
Foto: Nelson Perez / Fluminense FC
Texto: Diego Rodrigues