Atualmente estamos operando somente nas nossas redes sociais oficias

Entra Eduardo Baptista: valorização da base e desafio de liderar Fred e R10

A torcida falou em Muricy Ramalho, em Diego Aguirre e até em Renato Gaúcho. Mas a diretoria do Fluminense apostou em Eduardo Baptista para o desafio de fazer com que o Tricolor não "perca o ano". A sequência significativa de resultados ruins tornou o sonho de uma vaga na Libertadores de 2016 algo menos palpável, porém não impossível. Além disso, o time ainda está na disputa da Copa do Brasil e enfrentará o Grêmio nas quartas de final. 

Eduardo Baptista terá que saber como lidar com um elenco com R10 e Fred (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)
Nome que já agradava o vice de futebol Mário Bittencourt, Eduardo Baptista deixou o Sport ao ver que tem um pensamento parecido com o do presidente Peter Siemsen: valorização da base. No Fluminense, não só poderá trabalhar com os garotos, como concluirá que a presença dos jovens é necessária para que haja um resgate da campanha feita no primeiro turno do Campeonato Brasileiro. 

Eduardo Baptista no Sport: agora ares novos 
no Flu (Foto: Aldo Carneiro (Pernambuco/Press))
Na derrota justamente para o Sport, cinco jovens formados em Xerém formaram o time do Fluminense e, apesar de o grupo não estar em um bom dia, em geral, Eduardo Baptista pôde observar os garotos. Estavam em campo: Marlon, Léo Pelé, Gustavo Scarpa, Gerson e Marcos Junior. 

Por outro lado, se no dia que Enderson Moreira foi demitido Peter Siemsen disse que o perfil do novo técnico teria que ser de um "motivador", Eduardo Baptista não está bem nessa linha. Quem trabalhou com ele diz que é um profissional estudioso e "bom de grupo", que gosta de manter um bom relacionamento com atletas e integrantes da comissão. 

No currículo como técnico, a trajetória foi a seguinte: foi efetivado como treinador em fevereiro de 2014 e conquistou a Copa do Nordeste e o Campeonato Pernambucano do ano. Disputou o Brasileirão ficando no meio da tabela. Em 2015, não teve a mesma sorte. Balançou no cargo recentemente, após o Sport ter ficado 10 rodadas sem vencer, terminando o jejum contra o Fluminense, no último fim de semana. 

O estilo de jogo pende para o 4-5-1, com dois pontas abertos e um centroavante. Um dos volantes fica com a função de se aproximar da zaga e dar força ao sistema defensivo. Não é muito diferente do que o Fluminense vinha experimentando. Fred é a referência na grande área, e há opções para os jogadores que caem pelo lado.

No Fluminense, Eduardo Baptista encontrará Marcão, com quem trabalhou no Sport em 2012. O ídolo tricolor foi auxiliar de Waldemar Lemos na época. Baptista era o preparador físico. Auxiliar permanente do time das Laranjeiras, Marcão terá o papel de apresentá-lo ao grupo.

O desafio de Baptista, aos 45 anos, não é simples. Terá que saber lidar com um grupo que tem um líder absoluto - Fred -, além da estrela Ronaldinho Gaúcho, que vem ficando em segundo plano no futebol desde que foi contratado, e os garotos formados no Fluminense.

Neste sábado, o primeiro compromisso é onde nasceu, em Campinas. O Fluminense viaja na tarde desta sexta-feira para enfrentar a Ponte Preta, sábado, no Moisés Lucarelli, às 21h (de Brasília), pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Ge
Texto: Lucas Liausu e Sofia Miranda

About Me

Tecnologia do Blogger.

Blog Archive

Comments

Destaques

Facebook

Destaques

Find Us On Facebook

Random Posts

Advertise

Futebol

Nosso Instagram

Social Share

Random Posts

Destaques

Sponsor

Recent comments

Destaques
Destaques

Labels

Labels

Advertise

Destaques

Recent Comments

Destaques

Popular Posts

Recent Comments

Pages

Pages

Popular Posts

Most Popular

Curta nossa Fan page

Destaques