Árbitro relata ofensas de presidente do Fluminense: 'Você apita para os ricos'

O árbitro Leandro Vuaden relatou na súmula as ofensas que recebeu do presidente do Fluminense, Peter Siemsen, após a vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras, no Maracanã, na partida de ida da semifinal da Copa do Brasil. Segundo ele, o dirigente precisou ser contido pelo policiamento.

"Veio em minha direção proferindo, aos gritos, as seguintes palavras: ‘safado, ladrão, pilantra, seu filho da p..., fazedor de resultado, você apita para os ricos. Eu te conheço de outros tempos, você é a vergona da arbitragem", escreveu Vuaden, na súmula. "Veio correndo em minha direção, sendo contido".

O lance que deixou o presidente do Fluminense furioso aconteceu aos 15 minutos do segundo tempo. Zé Roberto invadiu a área, trombou com Gum, caiu e o árbitro Leandro Vuaden apitou pênalti. O próprio meio-campista do Palmeiras balançou a rede e diminuiu, dando mais esperanças para o time.

Já depois da partida, Siemsen concedeu entrevista coletiva e admitiu ter ofendido o árbitro. "Eu vi, revi, desci pro vestiário, vi e revi várias vezes. Não tem nem cheiro de pênalti. Eu realmente perdi a cabeça com o árbitro na saída de campo, fui agressivo, mas ele mereceu. Fui bem agressivo verbalmente."

Além do presidente tricolor, o vice-presidente de futebol do clube, Mário Bittencourt, também teve ofensas relatadas na súmula. "Proferiu as seguintes palavras: 'Safado, ladrão, filho da puta, pode colocar na súmula. Você veio f... o Fluminense'. O mesmo foi contido pelo policiamento", escreveu Vuaden.

O Palmeiras, por outro lado, reclama do gol de Amaral, anulado por impedimento, no segundo tempo, com a partida já 2 a 1 para o Fluminense.

Fonte: ESPN
Foto: Nelson Perez