Gerson: sem receber dinheiro de venda, Flu prepara cobrança ao Roma

O Roma fez oferta, o Fluminense aceitou, e Gerson viajou à Itália, fez exames médicos e assinou contrato. Porém, nenhum centavo dos 16 milhões de euros (R$ 60 milhões, à época) referentes à venda do meia de 18 anos entrou na conta das Laranjeiras. Tudo porque o negócio, fechado pelo presidente Peter Siemsem, anunciado em 5 de agosto, não oficializou a forma de pagamento. Sem este adendo ao acordo, o clube italiano aguarda a cobrança, algo que o Tricolor fará até o fim do mês. O problema é que a demora complica a situação financeira com pendência nos direitos de imagem dos jogadores. 

Internamente, o Flu não trata o caso como atraso. E tampouco teme deixar de receber o dinheiro. A venda está fechada, e Gerson irá se apresentar ao Roma em janeiro de 2016. Acontece que o clube recebeu uma proposta de pagamento. Nela, por exemplo, a primeira parcela venceria no começo de outubro. Porém, não foi quitada justamente por não ter sido colocada em contrato. Daí a necessidade mandar documentação aos europeus, afinal, na imprensa italiana se especula a possibilidade de a quitação ser feita apenas na próxima temporada. 

Houve, então, em efeito cascata. Exemplo: a Traffic e o fundo de investimento Mangrove, com percentual dos direitos econômicos de Gerson, também não receberam nada - o Flu detém 70% deles. E a direção não conseguiu quitar vencimentos de direitos de imagem. 

O Fluminense, via assessoria de imprensa, informou que não irá se manifestar. Porém, recentemente, em entrevista coletiva, o presidente Peter Siemsem abordou as dificuldades financeiras. Como o pagamento da Vitton, patrocinadora master do clube, está em atraso, o dinheiro da venda de Gerson seria usado para regularizar os direitos de imagem dos jogadores. 

- Como direito de imagem não é salário, cada jogador tem o dia do seu recebimento. A média (de atraso) que a gente tem ocorrido é de dois meses. Tem vezes que fica três meses, tem vezes que fica um. Não há uma diferença gritante entre os atletas. No passado, estivemos mais atrasados. Com a dificuldade da economia, a gente entende a questão do patrocinador. Compreendemos, estamos gerenciando. Não queremos que fique muito atrasado, afinal, aí fica complicado aos atletas. Somos transparentes a eles - explicou o mandatário. 

Enquanto isso, Gerson cumpre os últimos meses do contrato com o Flu. É titular de Eduardo Baptista.

Fonte: Ge
Texto: Fred Huber, Hector Werlang e Sofia Miranda