Com possível barca na defesa, Flu deve fazer buscas para o setor

Restam quatro jogos para o fim da temporada tricolor, e os pensamentos já estão voltados para o ano que vem. O vice de futebol Mário Bittencourt já deixou claro que o Fluminense não poderá esbanjar em contratações - "um ou outro reforço pontual" - e que as principais apostas serão os jovens da base. Em 2015, o setor da equipe que mais recebeu críticas foi a defesa. E alguns jogadores estão no fim de suas passagens pelas Laranjeiras. São os casos de João Filipe e de Breno Lopes.

Permanência de Vinícius é incerta (Foto: Alexandre Lourero/InovaFoto)
Contratado em dezembro do ano passado, João Filipe, que tem vínculo até o fim de 2015, mal foi aproveitado. O zagueiro atuou em apenas um jogo do Campeonato Carioca durante toda a temporada, o que faz os tricolores questionarem sua ida para o clube. Emprestado pelo Cruzeiro, também até o fim deste ano, Breno Lopes não faz parte dos planos. Não agradou muito. Contra a Chapecoense, estava à disposição, mas Wellington Silva foi improvisado na lateral esquerda. 

Situações mais delicadas são as de Antônio Carlos e Henrique. Com Eduardo Baptista, os zagueiros ainda não foram relacionados. Insatisfeitos, eles não devem continuar em 2016. Mas ambos têm contratos além de 2015. Antônio Carlos até o fim de 2016, e Henrique até a metade de 2016. Alternativas podem ser encontradas para os veteranos. O treinador disse que o motivo pela não utilização dos defensores é a parte técnica.

Com as possíveis saídas, novas buscas devem ser feitas pelo departamento de futebol para o setor, que ficará com Marlon e Gum - os titulares do momento, sendo que o jovem vem sendo sondado por clubes da Europa -, Artur - quem o treinador disse gostar de seu desempenho nos treinamentos -, Victor Oliveira e Ygor Nogueira, cria de Xerém que vem treinando com os profissionais. O Flu chegou a conversar com o zagueiro Matheus Ferraz, do Sport, mas ele acertou a renovação com o time pernambucano.

Antônio Carlos, Henrique e Magno Alves podem sair em 2016 (Foto: Nelson Perez / Fluminense F.C.)
Com a contratação de Jonathan, que estreou bem no último sábado, e a renovação de Wellington Silva, além das recuperações de Giovanni e Léo Pelé - seguem fazendo fisioterapia -, as laterais parecem estabilizadas para o ano que vem. Com isso, Renato, que tem contrato até o fim de 2017, perde espaço. Uma das opções é emprestá-lo.

E do meio para frente?

O atacante Lucas Gomes não deve estar nos planos do Flu para 2016. O contrato dele termina no fim deste ano. Teve uma sequência como titular no Campeonato Carioca, mas voltou para a reserva no Brasileirão. Não vem sendo utilizado por Eduardo Baptista. 

Um dos casos que chamam atenção é o de Vinícius. Com vínculo perto do fim, o Fluminense e o jogador ainda não conversaram sobre uma possível permanência, que fica cada vez mais distante, já que o meia começa a despertar o interesse de outros clubes brasileiros.

A situação de Magno Alves é incerta. A contratação do jogador, que vinha de um ótimo momento no Ceará, foi questionada no Tricolor. Com contrato até o fim de 2016, a permanência do veterano ainda será avaliada.

Fonte: Ge
Texto: Sofia Miranda