Fora por opção de Eduardo, A. Carlos e Henrique têm futuro incerto no Flu

Antônio Carlos e Henrique estão tão em baixa no Fluminense que perdem, na hierarquia estabelecida por Eduardo Baptista, para Arthur, zagueiro que sequer disputou um jogo em 2015. Com Marlon e Gum titulares, o treinador justifica as escolhas por "opção técnica". O que traz incerteza aos experientes jogadores na projeção na temporada 2016. 

O presente indica futuro de contratos longos. O vínculo de Henrique termina em julho do ano que vem. O de Antônio Carlos, em dezembro - ambos foram trazidos com esforço da direção, ambos têm remuneração alta. A falta de oportunidades pode pesar na eventualidade de receber alguma oferta de outro clube. 


- Os titulares hoje são Marlon e Gum. O Artur vem mostrando que também merece a condição. Esses estão à frente. O motivo (de os outros estarem fora) é a parte técnica, é opção minha. Para o ano que vem, só quando acabar o campeonato nós podemos dar alguma posição - explicou Eduardo, após a derrota para a Chapecoense, sábado à noite, no Maracanã. 

No 3 a 2, aliás, Gum teve atuação abaixo da própria média. Perdeu no alto para Túlio de Melo e para Thiego. Chegou a ser reprovado pelos poucos torcedores no estádio. 

A direção tem a intenção de contratar zagueiro para a próxima temporada. Houve acerto verbal com Matheus Ferraz, do Sport. Após o vazamento da negociação, o clube pernambucano propôs renovação por três temporadas. A situação está em impasse. 

- Iniciamos uma conversa (com o Matheus Ferraz) que não se concluiu e recebemos uma resposta que ele se apalavrou novamente com o Sport. Essa situação está suspensa - comentou Mario Bittencourt, vice de futebol, em entrevista à Rádio Globo. 

O Fluminense está de folga nesta segunda-feira. Volta a trabalhar na terça. O próximo compromisso é com o Grêmio.

Fonte: Globo Esporte
Texto: Hector Werlang e Sofia Miranda
Foto: André Durão