W. Paulista rechaça mágoa com Baptista: "Tenho que estar à disposição"


Nem mesmo a quase certa ausência de Fred sábado, contra a Chapecoense, deverá proporcionar uma nova chance a Wellington Paulista. Jogador do elenco com as características mais próximas do camisa 9, o atacante que se destacou no Santos e no Botafogo não vem tendo muitas oportunidades com o técnico Eduardo Baptista. E o roteiro tende a continuar. No treino desta quinta-feira, ele não foi a opção do treinador para ocupar a vaga do ídolo tricolor. O ataque formado pelo comandante teve Vinícius, Gerson e Osvaldo. Mas o jogador de 32 anos garante não desanimar.

"Quem decide quem vai jogar ou não é o treinador. O máximo que a gente pode fazer é respeitar. Quando ele precisar que eu jogue os 90 minutos, tenho que estar à disposição dele", respondeu.

Contra o Vasco, também sem a presença de Fred, Wellington Paulista até acreditou que iria a campo, porém acabou surpreendido e entrou no decorrer da partida. Nada que prejudique o trabalho do atacante.

"Eu acabei pego de surpresa no último jogo também, achei que ia jogar. Mas tem que respeitar a decisão do treinador. Não tenho mágoa nem nada. Só trabalhar para ter o meu espaço também", disse o jogador.

O Fluminense é o 12° colocado do Brasileirão com 43 pontos, a dez do G4 e nove da zona de rebaixamento, restando cinco rodadas para o fim do campeonato. Duas posições atrás, a Chapecoense tem três pontos a menos em relação ao Tricolor. As equipes medem forças sábado, às 21h, no Maracanã.

Fonte: Uol
Foto: Nelson Perez/Divulgação FFC