Eduardo Baptista elogia entrega do Fluminense e elogia estreantes


O técnico Eduardo Baptista ficou muito satisfeito com o desempenho do time tricolor no empate por 1 a 1 diante do Shakhtar Donetsk, realizado neste domingo, 17, pela Florida Cup. Segundo o treinador, a equipe naturalmente precisa evoluir em alguns pontos, mas conseguiu deixar uma ótima impressão, tendo em vista que esta foi apenas a sua primeira partida no ano e ainda por cima contra um adversário extremamente qualificado.

- Este foi nosso primeiro jogo com 12 dias de preparo e deu para tirar boas conclusões. Algumas coisas têm que ser arrumadas, mas vi bastante virtude. A equipe se entregou em campo e fez um primeiro tempo muito aguerrido e organizado, mas faltou jogar um pouquinho, ter mais a bola e rodar mais. Mesmo assim, criamos as melhores oportunidades. Já no segundo tempo, o time sofreu o gol muito cedo e foi ali que testamos a versatilidade de alguns jogadores – destacou o treinador.

No segundo tempo, Eduardo gradualmente promoveu a substituição de todos os titulares. Mesmo com as modificações, o Fluminense cresceu exponencialmente em campo e criou diversas oportunidades de gol. Por este motivo, o comandante tricolor considerou o empate um resultado injusto. Contudo, o mais importante, nas palavras dele, foi ter visto a capacidade de alguns jogadores de conseguir atuar em mais de uma posição.

- O Diego Souza veio jogar de volante e o Daniel, que entrou como meia, também veio mais para trás. São coisas que você vai ganhando ao longo da temporada. Com um homem de criatividade no meio de campo, você tem a bola e começa a criar. Dos 15 minutos para frente, o Fluminense foi o dono da partida, criou algumas oportunidade e o 1 a 1 acabou injusto ao meu ver – comentou.

A partida marcou a reestreia do meia Diego Souza com a camisa do Fluminense. Segundo o treinador, apesar de o meia ainda estar fora de ritmo, já deu provas de que será uma peça fundamental na engrenagem tricolor.

- O Diego teve uma boa participação. Lógico que ainda não está na forma ideal. A perna ainda pesa um pouquinho, e acontecem alguns erros de passe que eu sei que ele não erra. Mas ele brigou demais, fez algumas jogadas importantes, arriscou chutes a gol. Quando sofremos o gol, trouxe ele para jogar de volante e foi aí que a nossa equipe começou a jogar, a crescer e ter as rédeas da partida. Taticamente, foi fundamental – disse o treinador, que também não poupou elogios a Richarlison, que atuou pela primeira vez pelo Flu.

- O Richarlison é um garoto jovem, uma contratação diferente da do Diego Souza. É um garoto de 18 anos e a gente tem que ter cuidado e tato. Teve muita personalidade, enfrentamos uma grande equipe e ele não se intimidou. Acho que é a grande virtude dele. Quando teve a bola, foi para cima, sem ela, ajudou a marcar. Ainda tem algumas coisas a evoluir, mas neste momento o que me interessa é personalidade. Qualidade técnica ele tem – concluiu.

Comunicação institucional FFC
Fotos: Nelson Perez – Divulgação FFC
Fonte: Site Oficial do Fluminense FC